Obra e Bibliografia

Poemas de estréia publicados em abril de 1969 nos Cadernos do Extremo Sul, de Alegrete. Em epígrafe, versos de Pablo Neruda, a falar do compromisso para com o tempo presente. Versos de Cassiano Ricardo falam igualmente da situação humana do poeta. Trilhas que Miranda percorreria em sua caminhada pelo universo poético. Andança
Andança
Alegrete: Cadernos do Extremo Sul, 1969
Publicado em 1973, em Porto Alegre, pelo IEL, constitui-se como a afirmação da poesia de Luiz de Miranda. Recebido com entusiasmo pela crítica gaúcha e brasileira, o livro projetou seu autor em nível nacional, afirmando sua opção por uma poesia de combate, questionadora e inquietante.
Memorial
Memorial
Porto Alegre: A Nação/IEL, 1973
Com selo da Alfa Ômega, de São Paulo, este livro contém uma produção elaborada com paciência e cuidado ao longo de quatro anos (1973-6). Tematizando a dura realidade da América Latina, trata da solidão do homem, proibido de gozar seus direitos fundamentais, mas sem abrir mão da esperança.
Solidão Provisória
Solidão Provisória
São Paulo: Alfa-Ômega, 1978
De 1981, reúne poemas escritos de 1976 a 79 e que, de certa forma, dão continuidade aos livros anteriores. Aqui estão presentes as mesmas inquietações a respeito da vida sofrida em nossa América e o convite à resistência que a palavra poética, utopicamente, pode oferecer.
Estado de Alerta
Estado de Alerta
Porto Alegre: Movimento, 1981
Com epígrafes de Mário Quintana e Lupicínio Rodrigues, dois dos maiores conhecedores da vida boêmia de Porto Alegre entre os anos 40 e 70, o livro reúne vinte e oito cantos de paixão, amor, posse e entrega à terra adotiva que ele recria em versos que falam à emoção.
Porto Alegre Roteiro da Paixão
Porto Alegre: roteiro da paixão
Porto Alegre: Tchê, 1985
Publicado em 1986, o livro revela outra faceta do poeta, na medida em que, mais do que em qualquer outro de seus trabalhos, focaliza o envolvimento emocional, a confissão amorosa; mas, em si, afirma a trajetória do poeta, em seu compromisso maior para com a palavra poética.
Amor de Amar
Amor de Amar
Porto Alegre: LP&M, 1986
Com selo da Mercado Aberto, editado em 1987, esta antologia apresenta uma cuidadosa seleção de poemas publicados em livros de 1986 a 1969 – exatamente nessa ordem inversado ponto de vista da cronologia. Porto Alegre, Roteiro da Paixão, por tratar-se de um único poema, aparece em sua íntegra. Leitura obrigatória para quem desejar conhecer a síntese da poesia de Luiz de Miranda.
Antologia Poética
Antologia Poética
Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987
Publicado em 1992 pela Cultura Contemporânea, o livro tem em epígrafe os versos famosos de Antônio Machado: Caminante, son tus huellas el camino,/ y nada más;/ Caminante, no hay camino,/ se hace camino al andar./ Al andar se hace camino/ y al volver la vista atrás se ve la senda/ que nunca se há de volver a pisar./ Caminante, no hay camino,/ sino estrelas en la mar.// Os poemas, de alguma forma, falam das trajetórias do “passageiro”, seja pelos caminhos da vida, seja pelas sendas do “eu” interior em caminhadas sempre novas, porque irrepetíveis.
Livro do Passageiro
Livro do Passageiro
Porto Alegre: Cultura Contemporânea, 1992
Obra singular na carreira de Luiz de Miranda, os poemas que compõem o livro são “para a adolescência ler enquanto sonha”, como o Editor coloca na folha de rosto. Dedicada a uma faixa etária definida, o livro pertence a Coleção Falas Poéticas, da FTD, de São Paulo, tendo alcançado imediatamente a melhor das receptividades, distinguido como “altamente recomendável” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) no próprio ano de sua publicação (1992). No ano seguinte, em Bolonha, na Itália, durante a Feira do Livro Infantil daquela cidade recebeu o prêmio “Literature and family: The Noblest Desire”.
Livro dos Meses
Livro dos Meses
São Paulo: FTD, 1992
A Civilização Brasileira, do Rio de Janeiro, em co-edição com o Instituto Estadual do Livro, edita na íntegra a obra completa que Miranda publicara nos vinte e cinco anos que medeiam de 1967 a 1992. A obra, prefaciada por José Édil Alves, marca, também, a primeira parceria do IEL gaúcho com uma editora de fora do seu Estado. São sete livros, de Livro do Passageiro (1986-1992) a Andança (1967-1968), que incluem seus respectivos prefácios e anotam as datas de criação poética, perfazendo 457 páginas.
Poesia Reunida
Poesia Reunida
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira/IEL, 1992
A Editora Sulina publicou o livro em 1995, que foi selecionado para o Programa Nacional Salas de Leitura/ Bibliotecas Escolares pelo MEC/FAE. O Livro do Pampa focaliza o espaço físico mítico onde o “eu” do Poeta movimenta-se em constantes deslocamentos, e no qual sonho e realidade convivem de forma harmoniosa, tecidos pela mágica palavra poética. É um longo poema dividido em 41 cantos, com apresentação de Antônio Houaiss e Nelson Werneck Sodré.
Livro do Pampa
Livro do Pampa
Porto Alegre: Sulina, 1995
Também da Editora Sulina este livro é publicado em 1996. Retomando a temática de Amor de Amar (1986), pode-se dizer que Amores Imperfeitos tematiza as mais diversas situações com que se defronta a pessoa nas diferentes e complexas experiências de vida. A poesia de Miranda revela seu amadurecimento nas frases despojadas que atestam um intenso trabalho de depuração. O livro tem prefácio e posfácio dos ensaístas, críticos e professores universitários
José Édil de Lima Alves e Luis Augusto Fischer.
Amores Imperfeitos
Amores Imperfeitos
Porto Alegre: Sulina, 1996
Publicação da Coleção Petit POA, da Prefeitura de Porto Alegre, Coletânea da Poesia Social de Miranda, com personagens conhecidos de nossa realidade: Salvador Allende, Ernesto “Che” Guevara, Carlos Lamarca, Carlos Marighella, Mario Benedetti, Herzog, Edson Luiz, entre outros.
Incêndios Clandestinos
Incêndios Clandestinos
Porto Alegre: Coleção Petit-Poa, SMC, 1996
Com selo da Mercado Aberto, editado em 1987, esta antologia apresenta uma cuidadosa seleção de poemas publicados em livros de 1986 a 1969 – exatamente nessa ordem inversado ponto de vista da cronologia. Porto Alegre, Roteiro da Paixão, por tratar-se de um único poema, aparece em sua íntegra. Leitura obrigatória para quem desejar conhecer a síntese da poesia de Luiz de Miranda.
Nova Antologia Poética
Nova Antologia Poética
Porto Alegre: Sulina, 1997
Um livro para guardar sempre às portas do coração. E lê-lo será uma grande aventura para a sensibilidade do leitor. O amor, a solidão, a agonia e o mistério atravessam os séculos como matéria-prima da alma humana. No contexto das literaturas em português – pode-se afirmar – este Quarteto do Mistérios, Amor e Agonias, de Luiz de Miranda, seja pela temática universal que aborda, seja pela qualidade na elaboração da linguagem, é uma das raras obras e equipara-se com a do clássico e sempre atual Camões. Este singular livro oferece ao leitor o que de melhor a poesia pode dar a quem valoriza o espírito como realidade humana e transcendente.
Quarteto dos Mistérios Amor e Agonias
Quarteto dos Mistérios, Amor e Agonias
Porto Alegre: Sulina, 1999
“Trilogia do Azul, do Mar, da Madrugada, e da Ventania”, 304 páginas, Editora Sulina, Porto Alegre, 2000. Junto “Quartetos dos Mistérios, Amor e Agonias”, 1999, formam os “Sete Livros Capitaisde Miranda”, aquilo que seria sua “Grande Arte”.
“É com versos desse quilate, é com essa desabrida cadência de palavras, que Luiz de Miranda ascende ao primeiro plano de nossa poesia neste limiar de um tempo. A beleza de seu ritmo, de grande precisão técnica, surge com maturidade, sem aprente esforço, dos “Primeiros Cantos”, de Gonçalves Dias, à “Trilogia do Azul, do Mar, da Madrugada e da Ventania”, espraia-se toda uma conquista da palavra poética no Brasil. Os versos reunidos neste volume fazem pensar na constatação de Paul Claudel, de que a poesia é uma prece de que somente através dela chegaremos à salvação. Assim é a explosão vocabular de Luiz de Miranda, que não se esgota nos primeiros contatos. Permanece viva na memória, rica, nítida, inconquistada.”Antônio Olinto
Rio de Janeiro, 2 de março de 2000.

Trilogia do Azul, do Mar, da Madrugada e da Ventania
Porto Alegre, Sulina, 2000
Sua Trilogia da Casa de Deus é forte, é um verdadeiro “Canto General” de Pablo Neruda, cheio de generosa amizade. A Poesia sopra com a força mítica de Orfeu. Um Orfeu dos Pampas.Affonso Romano de Sant’Anna
Trilogia da casa de Deus
Trilogia da Casa de Deus
Porto Alegre: Sulina, 2002
É o mais longo poema da Língua Portuguesa, depois de Camões.José Edil de Lima AlvesPara os gregos o caminho do homem – o canto do cantor – tinha três etapas: as coisas, os lugares e as pessoas. Neste livro dos Cantos de Sesmaria passa o poeta ao longo de todos os caminhos, até tornar-se semente e entregar-se à terra longa, coberta de milagres. Bem que este livro é daqueles de que fala Gide: despertam o desejo de escrever um ensaio inteiro sobre ele. Graças a Deus, e ai de mim, não sendo um crítico profissional, nem um cliente das teorias literárias, basta-me deixar aqui a alegria de poder, afinal, percorrer o pampa e ouvir pela primeira vez sua metáfora no mesmo lirismo épico de José Hernández, num tom mais alto que o próprio Martín Fierro.Gerardo Mello Mourão
Cantos de Sesmaria
Cantos de Sesmarias
Porto Alegre: Sulina, 2003
“Poesia das Capitais é (…) um livro para nos fazer conhecedores de nosso País tão grande e diversificado. Mas também para nos fazer
viajantes do mundo das palavras – as do próprio autor, Luiz de Miranda; e as de todos os escritores e artistas que ele menciona ao longo de seus
passos, doando-nos generosamente um acervo de nomes e obras para tornar seu leitor um habitante permanente do universo da literatura e da
criação verbal.”Regina Zilberman
Poesia das Capitais
Poesias das Capitais
São Paulo: FTD, 2003
Vejo, na poesia de Luiz de Miranda, uma longa caminhada em busca de verdades, cada uma delas mostrando o caminho de apocalipse em que há profecias, quedas, recuperações, gritos, momentos de êxtase. (…) Com a confissão do poeta que desejou narrar em versos a própria vida, numa obra que não tem similar no brasil, uma obra que é poesia pura, inserida na busca incessante da palavra certa, da palavra que, só ela, pode justificar uma existência. Com este livro ascende Luiz de Miranda à primeira linha da poesia brasileira.Antonio Olinto.
Nunca mais seremos os mesmos
Nunca Mais Seremos os Mesmos
Porto Alegre: Nova Prova, 2005
 Livro magistral de Miranda reconhecido pela crítica do país e internacional.
Monolítico
Monolítico
Jaraguá do Sul: Design, 2009
 Coleção da Editora Global que publica os poetas do país. Veja: “Luiz de Miranda, poeta maior deste país. Poesia é o roteiro da vida de Miranda: Em poesia se transformam os caminhos por onde ele passa.” Moacyr Scliar
Melhores Poemas
Melhores poemas
São Paulo: Global, 2010
 Livro traduzido para o francês em 2010, quando recebe o prêmio da Academia Francesa de Artes, Ciências e Letras. Em 2011, Miranda participa do Salão do Livro de Paris  e recebe o Grande Prêmio Medalha de Ouro no Senado Francês, por serviços prestados à humanidade.
trilogie du bleu ; de la mer, de l'aube et du grand vent
Trilogie du Bleu, de la Mer, de Laube et Grands Vents
Paris: Yvelinédition, 2010

Em antologias coletivas

  • Seis Poetas Gaúchos. Porto Alegre, Assembléia Legislativa, 1976.
  • Chalé da Praça XV. Porto Alegre, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1982.
  • Marcas de Guardar. Porto Alegre, Amrigs, 1983.
  • Antologia da Poesia Brasileira Contemporânea (org. NEJAR, Carlos). Lisboa, Portugal, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1986.
  • Poesia Gaúcha 1. Porto Alegre, Instituto Municipal do Livro, 1986.
  • Cultura Mercosur (org. ACHUGAR, Hugo). Montevidéu, Logos, 1991.
  • Antologia da Nova Poesia Brasileira (org. SAVARY, Olga). Rio de Janeiro, Ipocampo, 1992.
  • Mercopoema. Porto Alegre, Alcance, 1993.
  • Uma Questão de Liberdade (org. MASINA, Léa). Porto Alegre, Tchê/IEL, 1993.
  • Conversa com Verso. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1994.
  • Antologia da Poesia Uruguaianense (org. TUBINO, Soares). Uruguaiana, Grupo de Cultura, 1997.
  • Autor Presente – Literatura Gaúcha (org. MASINA, Léa). Porto Alegre, IEL, 1997.
  • Tradução Poética e Plurilinguismo (poemas em 31 idiomas). Porto, Portugal, Nova Renascença, 1996.
  • Cidades Gaúchas. Porto Alegre, Exitus Editora, 1997.
  • Pampa Gaúcho – A Terra e o Homem (org. CORONEL, Luiz. Em português, espanhol e inglês). Porto Alegre, Exitus Editora, 1997.
  • Poesia e Cidade (org. CAMARGO, Dilan). Porto Alegre, Assoc. Gaúcha de Escritores, 1997.
  • Porto Alegre, Memória Escrita (org. BERND, Zilá). Porto Alegre, SMC, 1998.
  • Passapuradi (tradução para o Catalão por Perfecto Cuadrado. Palma de Mallorca, Espanha, 1999.
  • As Árvores e seus cantores (org. FARACO, Sérgio). Porto Alegre, Editora da Unisinos, 1999.
  • Poesia Gaúcha do Século XX (org. BRASIL, Assis). Rio de Janeiro, Imago, 2000.
  • Legado das Missões (org. CORONEL, Luiz. Em inglês, portugês e espanhol). Porto Alegre, W.S. Editor, 2000.

Tradução

  • Últimos Poemas (O Mar e os Sinos). NERUDA, Pablo. Porto Alegre, LP&M, 1983.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s